Como de costume, mais uma segunda, estava eu num vagão lotado do Metrôo vindo da Pavuna para o Centro do Rio de Janeiro.  Eis que em meio à massa de gente surge uma voz:

– Gente, por favor, prestem atenção! Não sou político, nem nada. Sou só mais um trabalhador sofrendo esta situação deprimente de pegar este tipo de trasporte que já foi tão bom. Estou indiginado com a nossa situação! Temos que fazer alguma coisa!

Imediatamente começa o zum-zum-zum e o pessoal a reclamar do chato:

– É cada um que me aparece!

– Só faltava essa!

– Já não basta pegar essa porra lotada, ainda tem que aturar esses malucos!

Mas o “maluco” não desistia:

– É um absurdo que continue esta situação! São 600.000 passageiros por dia! Já pensaram quanto dinheiro essa gente ganha com nosso sofrimento!

E como carioca gosta de uma zona, teve um que gritou:

– Vamo taca fogo, intão!!!

– Alguém tem um fósforo aí?

– Não gente! Queima o próximo que eu tenho que chegar no trabalho! – disse uma moça.

Ao que o “maluco” responde:

– Não é por aí. Tem que ser de forma pacífica.

– Como, então? Perguntou a moça que tinha que chegar no trabalho.

– Podemos fazer um grupo de cinco ou seis pessoas e sairmos juntos na estação gritando: “Inha,inha, inha! Metro não e sardinha”.

O povo caiu na gargalhada, mas ele não desistiu:

– Ou então “Assim não tá legal! Cabral pega no meu… pé!”.

– Melhor “Metro não é… cocô”!

E se segue uma infinidade de possíveis palavras de ordem que poderiam ser usadas. O “maluco” distribui umas folhas xeroxadas de páginas de jornais, mais textos no verso em que quase todo parágrafo termina com “compromete a rapidez, o conforto e a segurança”, entre outra informções pertinentes. Com a clara intenção de fazer o povo reagir contra o Metrô.

Depois da estação Central, nenhum grupo foi formado e cada um foi saindo, seguindo seu caminho para o trabalho comentando com algum colega como sua longa viagem foi divertida. E só.

E cotinuamos como sardnhas. Carioca não leva nada a sério mesmo…

E num metro do Rio…
Tagged on:         

One thought on “E num metro do Rio…

  • Amigo, assim como este que vc narrou, sou um “maluco” nessa luta contra esse transporte lixo que se tornou o Metrô, criei o Blog http://www.riodeabsurdos.blogspot.com onde postava o dia a dia de um usuário do Metrô e também alguns vídeos e fotos do Câos, infelizmente é complicado consegui apoio do povo, pois em sua maioria as pessoas só querem resolver o seu problema e não se envolver em nenhuma luta.
    Muitos acham que “não vale a pena”, já se entregaram aos polícitos, porém acreditos que existem muitos assim como eu por ai.
    Já movi um processo contra a super-lotação no Metrô e fui motivo de piada no Fórum, mas levei meu caso até as rádios e quase houveram demissões no juizado onde meu processo foi julgado, no fim, e claro, meu pleito foi julgado improcedente, a Juíza em questão entendeu que eu não havia sofrido nenhum abalo e segue-se a vida, afinal, a esposa do Governador é advogada do Metrô, sendo assim, as cartas já estão mais que marcadas.
    Já fiz adesivos e coloquei no Metrô “Operação Chega de Transporte de Gado – Eu Apoio!”
    Estou na luta, em silêncio, mas estou ai e não vou me calar, a luta está apenas começando.

Comments are closed.

Pular para a barra de ferramentas